Taxa de juros do cartão de crédito: como é calculada

Taxa de juros do cartão de crédito: como é calculada

O consumidor deve ficar atento às regras que regulam os juros do cartão de crédito

O cartão de crédito é uma modalidade de pagamento que proporciona muita facilidade ao se fazer compras. Antigamente, as pessoas tinham que andar com o dinheiro, muitas vezes contado para comprar alguma coisa, ou preencher um talão de cheque quando a compra era muito alta. O crédito melhorou muito a vida do consumidor, só que ele tem um obstáculo: a taxa de juros.

Cada vez mais os brasileiros estão comprando com esse meio de pagamento. Não é coincidência que tantas fintechs financeiras surgiram no mercado oferecendo cartões de crédito sem anuidade e com melhores condições na hora de parcelar suas compras.

reclame

Uma coisa é certa: cartão de crédito facilita a nossa vida, mas quando não bem planejado, você pode acabar se endividando. A grande questão é que você não precisa se privar 100% de satisfazer suas necessidades para não ficar endividado. Tudo é uma questão de planejamento e conhecimento.

Você sabe quais são as taxas cobradas no seu cartão? E quanto aos juros, você sabe como eles são calculados?

Continue a leitura e saiba o essencial para ter uma vida financeira mais saudável mesmo com cartão de crédito. Confira!

O que são os juros do cartão de crédito?

É um valor que as empresas de cartão cobram pelo dinheiro que você pega emprestado.

Quando você faz uma compra grande e não tem condição de pagar, parcela a fatura que comprou para sua renda dar conta desse valor. Ao fazer isso, você está pedindo um empréstimo ao banco, porque o dinheiro que você deveria dar a ele por ter pagado a sua compra não ocorreu, então é como se ele tirasse do próprio bolso para quitar.

Concorda que por pedir emprestado esse dinheiro a empresa tem o direito de cobrar um valor um pouco maior por isso?

Segundo o Mapa da Inadimplência 2021, que estudou o endividamento dos brasileiros pelo Serasa, as dívidas com bancos e cartões de crédito são as principais causas de negativações no país, sendo cerca de 29,7%.

Por isso, evitar a taxa de juros do cartão e a parcela de compras é a melhor maneira para impedir que suas dívidas cresçam rapidamente e quitá-las sem acumular.

Dica: Estorno no cartão de crédito: como funciona?

Como são calculados os juros do cartão de crédito?

Ao chegar uma fatura, se você não pagar o total do valor até a data de vencimento, a diferença entre o valor pago e o valor total entra no rotativo.

Os juros do rotativo são calculados com base no que não foi pago da fatura mensal, dentro do prazo previsto.

Por exemplo: se você tem uma fatura de R$200 e não conseguiu pagar. No próximo mês, você terá que pagar os mesmos R$200 com juros rotativos, que podem chegar até 16,9% ao mês, dependendo da instituição. Além da multa por atraso e a parcela seguinte. Na Nubank, por exemplo, essa porcentagem pode variar entre 2,75% e 14% ao mês.

Vamos dizer que a taxa de juros seja de 12%.

O cálculo da sua próxima parcela ficaria mais ou menos assim:

R$200 + (R$200 x 12%) + 2% + 1% =

R$ 200 + R$24 + R$4 + R$2 =

R$230

Sendo que:

  • R$200 é o saldo devedor da fatura;
  • 12% é o valor dos juros rotativos do cartão de crédito;
  • 2% é a multa por atraso;
  • 1% de mora cobrado por mês, pago proporcionalmente a quantidade de dias de atraso da fatura.

Sendo assim, quanto maior o saldo do devedor no mês, maior será o valor da dívida final. Isso porque os juros acumulam.

banner

O que é pagamento mínimo da fatura?

Na hora de pagar a fatura, você pode quitar o valor mínimo, deixando o resto para pagar no próximo mês. O valor é sempre informado no documento de cobrança ou pelo aplicativo do cartão, geralmente é 15%.

O pagamento mínimo é calculado da seguinte forma:

  • % do juros do rotativo;
  • % multa por atraso;
  • % juros de mora;.

Por exemplo: se a fatura é de R$1000,00 e você pagou só o mínimo de 15%, ou seja, R$150. Restaram R$850 para o mês que vem e a taxa de juros do rotativo dessa vez é de 13%.

Juros do rotativo: 850 x 0,13 =  R$110,50

Multa por atraso 2% (a.m) = R$17,00

Juros de mora 1% (a.m) = R$8,50

Valor a pagar no próximo mês: 1.000 (próxima fatura) + 850 (valor restante da fatura anterior) 110,50 + 17,00 + 8,50 = R$1986,00

A Receita Federal informou que o IOF referente ao crédito rotativo é de 0,0082% a.d. As operações ainda sofrem com o valor extra de 0,38% sobre o total da operação.

Vale lembrar que o Banco Central proíbe o pagamento da fatura mínima em meses consecutivos. O órgão mudou as regras após perceber que a ferramenta estimulava as dívidas dos consumidores, que acabavam virando uma bola de neve.

Dica: Renegociar dívida: saiba os seus direitos

Quais são as principais taxas do cartão de crédito?

O consumidor deve ficar atento às taxas do cartão de crédito, já que muitas empresas cobram por alguns serviços. Veja quais são:

Anuidade

Considerada a principal taxa cobrada pelos cartões, funcionando como uma manutenção. Em suma, quanto mais serviços o seu cartão oferecer, maior será a taxa de anuidade, como é o caso do cartão internacional. Vale pesquisar quais empresas cobram a taxa e escolher a opção mais vantajosa.

Algumas operadoras possibilitam parcelar a anuidade em 12 vezes, o valor é cobrado mensalmente.

Saques

É a tarifa cobrada quando o cliente realiza algum saque em dinheiro por meio do cartão.

Pagamento de contas

Uma taxa padrão para quando o cliente pagar os boletos de cobranças como eletricidade, tributos e água.

Avaliação emergencial de crédito

É cobrada quando o cliente realiza compras acima do limite disponível no cartão, ou seja, se você tem um valor de 1000 reais e usou 1500, vai ser cobrada uma taxa de juros pelo excedente

Por isso, o consumidor deve monitorar o uso desse meio de pagamento. Nem sempre o valor extra é liberado pela operadora. 

Segunda via do cartão de crédito

Essa taxa somente é cobrada quando você precisa emitir um novo cartão, seja por causa de perda, roubo ou furto.

Guia direitos do consumidor

Como comparar as taxas cobradas pelos cartões de crédito?

Cada instituição financeira tem seu valor de juros para cartão de crédito. Nesse sentido, comparar o CET (Custo Efetivo Total) entre as empresas antes de solicitar um cartão pode evitar possíveis estresses futuros por dívidas. 

Alguns sites ajudam a fazer essa consulta:

  • Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços);
  •  Banco Central;
  • Febraban (Federação Brasileira de Bancos).

Como evitar dívidas com o cartão de crédito?

Mesmo com sua popularidade, o cartão de crédito deve ser bem administrado para não acumular dívidas indesejadas ou precisar pagar juros muito altos no final do mês.

Por isso, confira 3 dicas de como evitar passar por esse problema.

Leia o contrato do seu cartão

Entenda melhor sobre essa disponibilidade de crédito que a instituição financeira escolheu. Quais são os juros? Quais as taxas? Há algum requisito para utilização? O contrato deve descrever todas essas informações para o entendimento do consumidor. Os valores precisam ser escritos de forma clara e objetiva, como destaca a Lei do Superendividamento.

Regule o limite de crédito

Muitas pessoas se endividam porque têm um valor alto de limite, só que você deve pensar sobre as condições de pagar uma fatura nessa quantia.

O indicado é que seu limite seja de 30% da sua receita mensal para evitar risco.

Crie uma planilha financeira

Entenda como está a sua situação financeira e crie uma planilha financeira com todos os seus gastos mensais, como água, luz e outros itens essenciais. Ela auxilia no controle dos gastos e mostra o panorama de débitos e sobras mensais.

Dica: Saiba quando o consumidor sofre danos morais

Você sabe o que é cláusula de mandato?

Uma informação relevante e que muitos consumidores não sabem é sobre a cláusula de mandato. Na solicitação de um cartão de crédito, o consumidor deve ler atentamente o contrato, pois nele pode haver uma cláusula contratual que basicamente torna a administradora do cartão sua procuradora. Assim, ela consegue realizar negócios jurídicos em seu nome sem aviso prévio, afinal você já deu sua autorização.

A partir disso, a administradora pode criar uma conta corrente, contratar empréstimo, emitir letras de câmbio etc. Tudo no seu nome. No entanto, isso pode ser algo abusivo e divergir dos princípios do Código de Defesa do Consumidor.

Mantenha-se informado com a PROTESTE

O cartão de crédito é o queridinho dos consumidores brasileiros, mas se não for utilizado de forma planejada e com conhecimento sobre a instituição financeira na qual contratou o serviço, o efeito dele pode sair pela culatra e você terá mais dívidas do que o esperado, principalmente por causa da taxa de juros.

Agora que você já sabe quais são as taxas de juros, como calculá-las e evitar que fique endividado, só depende de você fazer a escolha certa.

Visite os blogs SeuDireito, ConectaJá e MinhaSaúde para acompanhar as principais novidades sobre direito do consumidor, tecnologia e saúde, respectivamente. A PROTESTE acredita que a informação é a principal ferramenta para evitar problemas de consumo e melhorar a qualidade de vida dos consumidores.

Por isso, nossos especialistas desenvolvem testes comparativos com os principais produtos do mercado, de eletrônicos a itens alimentícios. Os resultados das avaliações ajudam o consumidor na escolha do melhor produto em relação ao custo-benefício. As análises são realizadas em laboratórios credenciados por órgãos fiscalizadores.

Conheça nosso canal Reclame, plataforma desenvolvida para você enviar sua reclamação contra um fornecedor de produto ou serviço. Sua mensagem é encaminhada diretamente para a empresa e a resposta chega na própria plataforma, em busca de uma solução para o seu problema. Associados PROTESTE têm o auxílio de especialistas em defesa do consumidor. Acesse o site ou ligue para 4020-7747.