Seguro de vida: confira as respostas às 6 principais dúvidas

Seguro de vida: confira as respostas às 6 principais dúvidas

Você está pensando em contratar um seguro de vida, mas ainda tem dúvidas sobre o produto? A PROTESTE ajuda a esclarecer os principais questionamentos dos consumidores!

Para que serve, quanto custa, qual a cobertura? Essas e outras questões são dúvidas frequentes de consumidores sobre seguro de vida. A PROTESTE já realizou um estudo com as principais marcas do mercado, para avaliar quais são as melhores escolhas para o consumidor. Agora, vamos ajudar a esclarecer os 6 principais questionamentos sobre esse produto!

1. O que é um seguro de vida?

Esse seguro prevê que os beneficiários, ou próprio segurado, recebam uma indenização em caso de morte ou invalidez, respectivamente. O produto também permite a contratação de coberturas extras, como invalidez permanente (total ou parcial) decorrente de acidentes ou doenças graves. 

Quem contrata o seguro pode indicar um ou mais beneficiários, garantindo a segurança financeira dos dependentes, em momentos inesperados. Caso o titular não indique na apólice os beneficiários, em caso de sinistro os herdeiros terão direito à indenização.

2. Quem pode contratar esse seguro? Existe limite de idade?

Essa regra depende da seguradora. A maior parte delas costuma aceitar titulares com até 65 anos. Para menores de 14 anos, é permitida apenas a contratação de coberturas por sobrevivência ou coberturas de risco, com despesas com funeral e/ou despesas médicas e hospitalares, decorrentes de acidente pessoal.

3. Quais as coberturas do seguro de vida?

As garantias dependem do produto contratado. Na cobertura básica, o seguro cobre apenas a morte (natural ou acidental) do titular. Porém, existem coberturas adicionais que podem ser contratadas também:

  • invalidez permanente, parcial ou total, causada por acidente;
  • doenças graves, tais como câncer, Alzheimer ou comprometimento cardíaco;
  • diárias por incapacidade temporária ou internação hospitalar.

4. Os seguros de vida cobrem mortes decorrentes da Covid-19?

Em princípio, mortes decorrentes de problemas não previstos, como pandemias, não eram cobertas pelas seguradoras. No entanto, desde abril de 2020, algumas seguradoras passaram a incluir essa cláusula nas apólices. Assim, é importante ler o contrato com atenção e, em caso de dúvidas, só assinar depois dos esclarecimentos necessários.

5. Quanto custa um seguro de vida?

O cálculo do valor depende das coberturas contratadas, do capital segurado (valor que os beneficiários irão receber em caso de sinistro) e também da idade do titular no momento da contratação. 

Vale destacar que o capital contratado é atualizado todo ano, pelo índice de preço estabelecido em contrato, que pode ser, por exemplo, o IPCA/IBGE (Índice de Preços ao Consumidor Amplo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). 

Já o valor mensal a ser pago pelo segurado é estipulado na data de contratação e, na maior parte das seguradoras, sofre reajuste conforme a idade do titular, por faixa etária.No caso dos seguros de vida resgatáveis (seguro dotais), o prêmio é nivelado, ou seja, o titular começa arcando com um preço mais elevado da mensalidade, mas não tem o reenquadramento por faixa etária. 

6. Quantos seguros de vida é possível ter?

O segurado pode contratar, simultaneamente, mais de um seguro de vida, ou seja, quantos seguros quiser, diferente do que ocorre nos seguros de bens (carro, residência), casos nos quais o consumidor só pode ter um seguro por bem. E, caso possua mais de um, haverá a concorrência de apólices prevista em contrato.

Já pensou em ter um seguro de vida, mas acha que é caro?

Temos um plano que cabe no seu bolso.

FAÇA UMA SIMULAÇÃO arrow_right_alt