Empréstimo para MEIs: cuidado com o endividamento

Empréstimo para MEIs: cuidado com o endividamento

Governo planeja liberar recursos para empréstimos a pequenos negócios; PROTESTE sugere cautela e alerta para o risco de endividamento.

Em junho, o Ministério da Economia anunciou a liberação de R$ 15,9 bilhões, do Tesouro Nacional, para empréstimos a pequenos negócios, como forma de amenizar os impactos econômicos da crise provocada pela pandemia do coronavírus. 

O crédito faz parte do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) e promete beneficiar 4,5 milhões de micro e pequenas empresas, incluindo os microempreendedores individuais (MEI). Segundo informações do governo, o valor liberado corresponderá a até 30% da receita bruta anual da empresa, calculada com base no ano de 2019. 

Além disso, a taxa de juros anual máxima será igual à Selic (atualmente em 3% ao ano), acrescida de 1,25% sobre o valor concedido, com prazo de 36 meses para o pagamento e carência de 8 meses. As empresas que receberem o benefício, por sua vez, precisam se comprometer a preservar o número de funcionários da data da contratação do empréstimo até 60 dias após o recebimento da última parcela.

No início de julho, o governo federal divulgou outra linha de crédito, de R$ 9,8 bilhões, destinada aos microempreendedores individuais. Cada empreendedor terá direito a um empréstimo de até R$ 30 mil, com carência para pagamento. No entanto, o prazo de pagamento e a taxa de juros ainda estão em debate. 

Quer conhecer uma opção de crédito com melhor custo-benefício? Então, confira a parceria da PROTESTE!

Mesmo com a oferta de juros baixos, vale verificar se realmente a proposta é a melhor encontrada no mercado.

PROTESTE recomenda cautela com empréstimos 

Na avaliação da PROTESTE, os microempreendedores precisam ter cuidado para evitar o endividamento e cumprir o projeto de investimento. “É essencial que tenham um planejamento claro para o uso do empréstimo, e que saibam quanto esse crédito proporcionará de retorno”, orientou o especialista Rodrigo Alexandre.

Além disso, segundo ele, a pesquisa de opções de crédito é sempre importante. “Mesmo com a oferta de juros baixos, vale verificar se realmente a proposta é a melhor encontrada no mercado”, opinou.

Para o especialista, caso os microempreendedores precisem realmente recorrer ao crédito, é essencial manter os pagamentos em dia. “Organize-se para que consiga pagar as parcelas na data, de forma a manter o planejamento inicial bem organizado e evitar o acúmulo de dívidas”, ressaltou.

Tá apertado pra fechar as contas? PROTESTE recomenda uma solução inteligente de crédito para quem quer fugir das dívidas. FAÇA UMA SIMULAÇÃO arrow_right_alt