Empréstimo com ganho: PROTESTE alerta para os riscos

Empréstimo com ganho: PROTESTE alerta para os riscos

Uma forma diferente de contratação de empréstimos, que promete ganhos ao consumidor, traz grandes riscos. Entenda melhor!

A busca por crédito é algo bastante comum, em especial por aposentados, pensionistas e servidores públicos, que possuem facilidades na contratação deste produto, tais como taxas de juros menores, no caso dos chamados empréstimos consignados. No entanto, a promessa de fazer um empréstimo com ganhos é uma ilusão.

Essa nova modalidade, de acordo com Guilherme Souza, especialista da PROTESTE, funciona da seguinte maneira: uma empresa propõe ao consumidor a contratação de um empréstimo consignado de determinada quantia, em qualquer banco.

 “Essa mesma empresa, então, toma este valor como empréstimo do consumidor, oferecendo uma porcentagem que pode variar de 5% a 10% do valor total, e se compromete a efetuar o pagamento até o final, depositando, mês a mês, as parcelas na conta da pessoa que contratou o produto, assumindo, assim,  todos os custos da operação”, explicou. Assim, o consumidor assume o compromisso de pagar a dívida junto ao banco (desconto automático) e a empresa de depositar mensalmente o valor da parcela para o consumidor.

No entanto, a PROTESTE alerta para os riscos dessa transação, esclarecendo que o consumidor que aceita a oferta não recebe nenhuma garantia de que os pagamentos serão efetuados até o final pela empresa. 

Promessa de empréstimo com ganhos é um negócio arriscado

Segundo Guilherme, a fraude cresceu em função das dificuldades econômicas vivenciadas atualmente no país. “Em tempos de crise, a necessidade de obter crédito para custeio de despesas extraordinárias só aumenta e a chance de o consumidor ser atraído para um negócio arriscado também”, pontuou.

De acordo com o especialista, não existe garantia alguma de que a empresa efetuará os pagamentos corretamente, por todo o período de contratação do empréstimo. “Além disso, não há também certeza de que a empresa possua bens ou patrimônio para honrar eventual cobrança na justiça”, disse. Há, inclusive, diversas denúncias já divulgadas pela mídia, de fraude nesse tipo de processo – que está sob investigação. 


A PROTESTE aconselha o consumidor a não fazer esse tipo de contratação, uma vez que o banco  receberá o valor integralmente, já que o desconto deste ocorrerá diretamente na fonte pagadora.  “Daí, se a empresa optar por não realizar mais o pagamento, por qualquer motivo que seja, restará ao consumidor assumir um grande prejuízo, o qual poderá levá-lo ao superendividamento”, destacou Guilherme.

Assim, segundo o especialista, quem empresta dinheiro desta forma, assume um alto risco, sobretudo em tempos de crise. “É necessário estar ciente dos riscos, pois não há uma garantia de que o emprestador irá receber”, frisou.

A PROTESTE também pode ajudar os consumidores associados, por meio do seu canal RECLAME

Tá apertado pra fechar as contas? PROTESTE recomenda uma solução inteligente de crédito para quem quer fugir das dívidas. FAÇA UMA SIMULAÇÃO arrow_right_alt