Confira os cuidados com o carro parado na garagem

Confira os cuidados com o carro parado na garagem

Seu veículo ficou parado na garagem por muito tempo durante a quarentena? Saiba o que fazer para evitar problemas quando quiser sair de casa!

A quarentena fez com que muitos consumidores deixassem seus veículos parados por dias, estacionados na garagem. Nesse período, muita gente se preocupou apenas com a bateria, sem atentar para outros detalhes que podem comprometer o funcionamento e desempenho do carro. O combustível, por exemplo, pode se degradar ao ficar muito tempo no tanque. Os pneus, por sua vez, precisam ser calibrados.

Com a perspectiva de retomada das atividades econômicas, que tal um check up no veículo antes de voltar a rodar? Aliás, mesmo com a reabertura de algumas atividades, muitos consumidores ainda devem permanecer em home office. Assim, vale manter os cuidados com o carro parado na garagem, para evitar problemas futuros.

“A PROTESTE recomenda que o consumidor faça uma revisão preventiva periódica no seu veículo de 6 em 6 meses ou a cada 10 mil quilômetros rodados, pois pode prever riscos e ter segurança, além de uma economia, pois um carro trabalhando corretamente tem um menor consumo de combustível”, orientou Daniel Alves de Barros, especialista da PROTESTE.

carro parado
Saiba como evitar problemas com o veículo que ficou parado na garagem por muito tempo

Confira 4 dicas para não correr riscos ao sair com o carro!

1. Certifique-se de que a bateria está funcionando de forma adequada

Para os carros que estão com a manutenção em dia, a preocupação é menor. Não há necessidade de ligar o veículo com frequência para garantir a recarga da bateria. Lembrando que, se essa peça estiver no final de sua vida útil, a descarga vai ocorrer ligando ou não o veículo.

As principais montadoras recomendam ligar o veículo por alguns minutos, em períodos que variam de 10 a 15 dias. No entanto, quem deixa o carro parado em uma garagem fechada ou subterrânea deve ter cuidado com esse procedimento para evitar a concentração de monóxido de carbono no local. 

A solução, em tais casos, é de fato tirar o carro da garagem e dar uma volta pelo bairro. Se você não adotou esse cuidado durante a quarentena, verifique com atenção o estado da bateria, conferindo o acionamento de vidros e travas elétricas, luzes de sinalização, faróis, limpadores de pára-brisa, rádio e ar-condicionado. Se tudo estiver funcionando corretamente e a bateria estiver dentro da validade, o risco de surpresas desagradáveis ao sair com o carro é menor. 

2. Tenha atenção ao combustível parado no tanque

Outro ponto de atenção é o combustível. No tanque do veículo, a gasolina e o diesel têm durabilidade de cerca de três meses – prazo que pode ser afetado pela presença de oxigênio. Ou seja, se o tanque não estiver cheio, haverá maior contato do combustível com o oxigênio, o que degrada o produto e pode levar à obstrução de bicos injetores e filtros. Já o etanol pode durar até um ano, embora temperaturas baixas possam afetar a partida do veículo.

Independentemente do combustível utilizado, vale a pena checar se tudo está funcionando corretamente, para evitar problemas assim que sair de casa! 

3. Troque o óleo

Veículos que rodam muito pouco (por exemplo, apenas para ir ao supermercado do bairro) não dão tempo para que o óleo do motor alcance a temperatura ideal de funcionamento. Com isso, pode ocorrer contaminação do óleo do motor pelo combustível. 

Por isso, ao final da quarentena, quando voltar a circular com o carro normalmente, é importante fazer a troca do fluido lubrificante, mesmo que o veículo não tenha atingido o prazo para isso.

4. Freios e pneus

Depois de deixar o carro muito tempo parado na garagem, existe o risco de as lonas de freio ficarem coladas aos tambores. Caso isso ocorra, as rodas permanecerão travadas involuntariamente. Por isso, caso tenha deixado o freio de mão acionado por muito tempo, é importante checar o funcionamento antes de rodar com o veículo, de forma a garantir a segurança.

Outro cuidado importante é verificar a calibragem dos pneus. Se o veículo for permanecer mais tempo estacionado, sem uso frequente, o ideal é calibrá-los com pressão 20% a 30% maior. 

Contratação online com cobertura de roubo, furto e colisão com os melhores valores do mercado. Não saia de casa sem seguro arrow_right_alt